Início » Estudos » Estudos Bíblicos
Doutrina do Pecado

(hamartiologia)
I. A ORIGEM DO PECADO

A) Em Relação a Deus Deus não pode pecar, e no entanto o plano de Deus “precisaria” ter incluído a permissão para a entrada do pecado no mundo, já que desde a eternidade incluía um Salvador.
B) Em Relação a Satanás O pecado foi achado em satanás (Ez 28.15). Esta afirmação é o mais próximo que a Bíblia chega de uma indicação da origem do pecado.
C) Em Relação a Anjos Alguns deles seguiram a satanás em seu pecado.
D) Em Relação ao Homem O pecado originou-se no Éden.

 

II. A DEFINIÇÃO DE PECADO

 

A) O Pecado é uma ilusão: Esta idéia (errônea) assume vária formas de expressão; e.g., nossa falta de conhecimento é a razão pela qual temos a ilusão do pecado; ou, quando a evolução tiver tido tempo suficiente para nos ajudar a progredir, a ilusão do pecado desaparecerá.
B) O Pecado é o eterno princípio do dualismo: Sendo o Mal uma entidade externa a Deus é independente dEle.
C) O Pecado é o egoísmo: Esta é a definição ouvida com maior freqüência. É bíblica mas incompleta e insuficiente.
D) O Pecado é a violação da Lei: Esta definição também é bíblica mas insuficiente, a não ser que o conceito de lei seja estendido de modo a compreender todo o caráter de Deus.
E) O Pecado é qualquer coisa contrária ao Caráter de Deus.

III. PECADO PESSOAL

 

A) Significado: O pecado é cometido por indivíduos. Podem ser pecados deliberados ou pecados por ignorância. Errar o alvo também implica atingir o alvo errado.
B) Penalidade: Perda de comunhão.
C) Remédio:
Perdão - Retira a culpa produzida pelo pecado.
Justificação - Declaração da atribuição da justiça de Cristo ao pecador que crê e é perdoado.

IV. A NATUREZA PECAMINOSA

A) Significado: A Natureza pecaminosa é a capacidade e inclinação humana para fazer tudo aquilo que nos torna reprováveis aos olhos de Deus.
B) Passagens Bíblicas relacionadas: 2Co 4.4; Ef 4.18; Rm 1.18- 3.20
C) Resultado da natureza pecaminosa: Depravação total (Absoluta falta de mérito do homem perante Deus). Morte Espiritual.
D) Transmissão da natureza pecaminosa: Dos pais para os filhos (Sl 51.5).
E) Remédio: Redenção, que nos concede nova natureza (regeneração) e uma nova capacidade de servir a Cristo.
O Poder do Espírito que habita no crente para dar vitória sobre a natureza pecaminosa, que já foi julgada.

V. PECADO IMPUTADO

A) Significado: O resultado da participação de cada homem no pecado original de Adão.
B) Texto-chave: Romanos 5.12 - Toda a humanidade estava em Adão, participando de seu pecado e assumindo a culpa resultante dele.
C) Transmissão do pecado imputado: Transmitido diretamente de Adão a cada membro da raça.
D) Penalidade: Morte física.
E) Remédio: A Justiça imputada de Cristo (2Co 5.21).

 

VI. O PECADO NA VIDA DO CRENTE

A) O fato do pecado na vida do crente: 1 João 1.8-10
B) O padrão para o crente: Andar na Luz ( 1Jo 1.7)
C) A prevenção do pecado na vida do crente:
Através da Palavra de Deus (Sl 119.11)
A intercessão de Cristo ( Jo 17.15)
O Espírito Santo que habita nele (Jo 7.37-39)

D) Penalidades do pecado na vida do crente:
Perda de comunhão (1Jo 1.6)
Exclusão da Instituição religiosa (1 Co 5.4,5)
Disciplina de Deus (Hb 12.6)
Às vezes morte física (1Co 11.30)

E) O remédio para o pecado na vida do crente:
Confissão (1Jo 1.9)


A doutrina do pecado (Hamartiologia)

  • A origem do pecado no universo 
  • A origem do pecado na raça humana 

Origem do pecado no universo
Devemos compreender que o pecado não teve sua origem aqui na terra. O primeiro pecado foi cometido no céu. Assim sendo afim de compreender sua realidade e natureza, devemos estudar primeiro seu começo no universo, e depois seu começo na terra. 
Vamos considerar a primeira pessoa responsável pelo pecado no universo: 
Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-te: Assim diz o Senhor Deus: Tu eras o selo da perfeição, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. 
13 Estiveste no Éden, jardim de Deus; cobrias-te de toda pedra preciosa: a cornalina, o topázio, o ônix, a crisólita, o berilo, o jaspe, a safira, a granada, a esmeralda e o ouro. Em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. 
14 Eu te coloquei com o querubim da guarda; estiveste sobre o monte santo de Deus; andaste no meio das pedras afogueadas. 
15 Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que em ti se achou iniqüidade. 
16 Pela abundância do teu comércio o teu coração se encheu de violência, e pecaste; pelo que te lancei, profanado, fora do monte de Deus, e o querubim da guarda te expulsou do meio das pedras afogueadas. 
17 Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei; diante dos reis te pus, para que te contemplem. (Ez. 28:12-17). 
A passagem deixa claro que o profeta está descrevendo um ser sobrenatural. As palavras poderiam aplicar-se ao rei Tiro, mas elas vão além desta aplicação e descreve o maior de todos os seres criados. A quem mais poderiam aplicar-se estas palavras, do que a Satanás antes da sua queda? 
Vamos agora observar o pecado cometido por esse ser exaltado: 
Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! como foste lançado por terra tu que prostravas as nações! 
 13 E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono; e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do norte; 
14 subirei acima das alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo (Is. 14:12-14).  
 Cinco vezes Lúcifer opõe sua vontade à vontade de Deus. Pode ser visto então que o primeiro pecado foi o de rebelião contra Deus e total independência Dele. 
"Eu subirei ao céu"  - existem três céus: o céu atmosférico, o estrelar ou astronômico, e o mais alto, ou terceiro céu, onde Deus e santos habitam. (veja II Co. 12:1-4) onde Paulo descreve sobre Ter sido arrebatado até o terceiro céu. A esfera dos Anjos é no segundo céu. "Acima das estrelas de Deus exaltarei meu trono" — As estrelas de Deus referem-se aos exércitos angélicos, como em "quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e rejubilavam todos os filhos de Deus" (Jó 38:7) e "ondas bravias do mar, que espumam suas próprias sujidades; estrelas errantes, para as quais tem sido guardada a negridão das trevas para sempre" (Jd.13). veja também (Apoc. 12:3,4 — 22:16). O desejo de assegurar o domínio sobre os seres angélicos é assim expresso: 
"E no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte" -  estas palavras foram tidas como expressando o desejo de possuir também um reino  terreno. No simbolismo bíblico, uma montanha significa um reino. " Acontecerá nos últimos dias que se firmará o monte da casa do Senhor, será estabelecido como o mais alto dos montes e se elevará por cima dos outeiros; e concorrerão a ele todas as nações." (Is. 2:2) 
 "Então foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro, os quais se fizeram como a pragana das eiras no estio, e o vento os levou, e não se podia achar nenhum vestígio deles; a pedra, porém, que feriu a estátua se tornou uma grande montanha, e encheu toda a terra." (Dn. 2;35) 
"Subirei acima das mais altas nuvens" —  A glória de Deus é muitas vezes simbolizada por nuvens nas escrituras. Lúcifer queria possuir esta glória. 
"Serei semelhante ao Altíssimo" — Este é o apogeu dos outros quatro desejos. Todas essas declarações expressam independência e oposição a Deus, uma ambição deliberada contra Ele. Se ficarmos imaginando como o pecado pode entrar num  ambiente perfeito, a resposta parece ser, no que diz respeito a Lúcifer e aos anjos que caíram com ele, que sua queda foi devido a revolta voluntária autodeterminada , contra Deus. 

 

A origem do pecado na raça humana
O terceiro capitulo de Gênesis descreve como o pecado entrou pela primeira vez na raça humana. Um entendimento completo do que ensina este capitulo é essencial para compreendermos o que se segue nas escrituras. A história da queda do homem, como dada aqui, é uma contradição absoluta a teoria da evolução, que pretende ensinar que o ser humano começou bem no inicio da escala moral e esta agora vagarosamente subindo por ela. Pelo contrario, este capitulo ensina que o homem começou bem no alto. À imagem e semelhança de Deus, e passou a cair cada vez mais baixo. 
Gênesis 3 também contradiz a moderna teoria da hereditariedade e do ambiente. É-nos dito que a razão do pecado e do mal, se encontram no mundo e resulta da transmissão corrupta da nossa hereditariedade. Se nossos ancestrais não tivessem pecado, não seriamos pecadores. Sabemos que Adão e Eva não tiveram ancestrais corrompidos, mesmo assim pecaram. Somos ensinados também que a causa do mal no coração do homem é resultado do ambiente perverso que vivemos. Se tão somente pudéssemos purificar a sociedade, os homens não ficariam mais sujeitos a pecar. Isto mostra-se falso pelo ,fato de que nossos primeiros pais (Adão e Eva) viviam numa condição de perfeição, toda via pecaram. Assim devemos considerar que o homem não precisa de um novo berço e sim de um novo nascimento.  

 

A raça humana foi criada de modo a poder receber o amor de Deus e corresponder a Ele. Para que o amor seja real, ele deve ser concedido livremente. O amor não é amor se for dado por compulsão. Como Deus saberia se o primeiro homem e mulher o amavam? Ele lhes deu uma oportunidade de provar seu amor através de um simples ato de obediência. De fato ele não era nem mesmo tão difícil quanto se poderia supor. Tudo que lhes foi pedido era não praticar um determinado ato — comer do fruto de uma das muitas árvores do jardim,  e demonstrar desse modo sua dedicação ao Senhor. Deus não estava privando de nada. Adão e Eva não precisavam do fruto dessa árvore. Ele não era necessário para felicidade ou para o bem estar de ambos. Por outro lado, o homem não necessita do pecado. Ele não acrescentou nem sequer um segundo de prazer genuíno na vida humana. 
Até os que pecam contra outros, desejam ser tratados com honestidade. O mentiroso quer que você lhe fale a verdade, o ladrão que rouba seus bens não quer que você roube os dele. 

 

Não havia veneno ou mal no fruto daquela árvore. Só era errado porque Deus dissera para não comerem dele. Na economia moral que Deus estava estabelecendo aqui na terra, mas não uma necessidade. Adão e Eva jamais deveriam Ter convertido essa possibilidade em realidade. Cercados de tudo para prover cada uma das suas necessidades, e advertidos por Deus das conseqüências que adviriam, só podemos concluir que foram culpados de suas ações "Cada um, porém, é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência;" (Tg. 1:14). É muito importante gravar este fato na mente: Deus não permitiu que Satanás coagisse Adão e Eva. A serpente os tentou, mas não os forçou a comer do fruto proibido. A maneira como Satanás agiu foi uma verdadeira prova, mas não constituiu num ato de sujeição completa de Adão e Eva. Isto se aplica a toda tentação. A tentação bem sucedida requer colaboração do indivíduo tentado. Ele deve ceder como Adão e Eva cederam. Poderiam Ter acusado Satanás de Tg tentado, mas deveriam culpar-se a si mesmos por ceder a tentação. O pecado deles era de sua responsabilidade, e assim tiveram de suportar o castigo. 
A diferença entre a queda de Satanás e a queda do homem é que Satanás caiu sem qualquer tentador externo. O pecado entre os anjos teve origem em seu próprio se; o pecado do homem se originou em resposta a um tentador e à tentação externa. Pois se homem tivesse caído sem um tentador, ele teria originado seu próprio pecado, tornando-se ele mesmo um Satanás. 
Entretanto o pecado que habita no homem, não é dele mesmo, é sim uma intrusão externa que não nos pertence. O que é original do homem está declarado em  (I Pe. 1:15-16) - "mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em todo o vosso procedimento;16 porquanto está escrito: Sereis santos, porque eu sou santo." 

 

01-   O QUE É PECADO?
Pecado é tudo que fazemos em desacordo com a vontade de Deus, contrário à Sua Palavra, em desobediência aos seus mandamentos. O pecado é um ato de rebeldia: "Todo aquele que pratica o pecado, também transgride a lei, pois o pecado é a transgressão da lei" (1 João 3.4). Há duas palavras gregas, dentre outras, para definir pecado: "HARMATIA" (transgredir, pecar contra Deus, praticar o mal) e "ADIKIA" (iniqüidade, maldade, injustiça).

 

02-   O QUE É PECADO ORIGINAL?
É o pecado herdado da desobediência de Adão e Eva. O primeiro homem, como representante da raça humana, corrompeu toda a humanidade ao transgredir a lei de Deus. O Senhor Deus ordenou ao homem: "De toda a árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás, pois no dia em que dela comeres, certamente morrerás". A mulher, dando ouvidos à serpente, comeu do fruto da árvore proibida e cometeu o primeiro pecado da humanidade. "Como semente gera semente da mesma espécie", nós, sementes de Adão, herdamos a natureza pecaminosa. Assim, "por um só homem entrou o pecado no mundo / pois todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus". (Gênesis 2.16-17; 3.1-6; Romanos 3.23; 5.12). A esperança é que se "pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de uns muitos serão feitos justos". (Romanos 5.19). 

 

03 - E FILHOS DO DIABO, FILHOS DA IRA, FILHOS DA DESOBEDIÊNCIA, FILHOS DO MUNDO E FILHOS DA CARNE?
São expressões equivalentes que caracterizam a situação dos que se encontram na prática do pecado, voluntária e continuamente (Lucas 16.8; Efésios 2.3; 1 Pedro 1.14; 1 João 3.10; Efésios 5.6; Romanos 9.8).
 

04 -   DEUS CRIOU O PECADO?
Não. Deus é amor. Deus não é a fonte do mal. Acontece que Ele deu ao homem liberdade para decidir. Deu-lhe o livre-arbítrio. No Éden, Deus estabeleceu o princípio da obediência. A obediência é necessária para que o homem viva em comunhão com Seu Criador. Muitos hoje em dia dão ouvidos ao diabo e desprezam as palavras de advertência do Criador. O resultado é a morte eterna. (Gênesis 2.17; Romanos 6.23).

 

05-   O QUE É REMISSÃO DE PECADOS?
Significa livramento da culpa do pecado. Remissão quer dizer perdão, redenção, quitação de uma dívida. Em certos contratos comerciais inserem-se um dispositivo chamado "cláusula de remissão", onde se define o preço da remissão, a fim de que o bem hipotecado seja liberado. Uma vez pago o preço acertado, o bem hipotecado fica livre, sem ônus, sem impedimentos. O preço de nossa redenção, de nossa libertação, foi o sangue de Jesus: "Sem derramamento de sangue não há remissão". (Hebreus 9.22). "O Cristo padecerá, e ao terceiro dia ressurgirá dentre os mortos, e em seu nome se pregará o arrependimento e a REMISSÃO DOS PECADOS...". (Lucas 24.46-47). Sem arrependimento não há remissão dos pecados. Em Jesus "temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados". (Colossenses 1.14). 

 

06 - O QUE É CONCUPISCÊNCIA?
É desejo carnal incontrolável. Diz respeito não apenas aos apetites sexuais, mas a bens e gozos materiais. É o desejo, sem domínio, de saciar a qualquer custo à vontade do corpo, da carne. Concupiscência dos olhos: desejo de ver ou presenciar cenas de violência, tumultos, pornografias, filmes eróticos, obscenidades, etc. Concupiscência dos ouvidos: desejo de ouvir piadas imorais; de ouvir músicas profanas; de dar ouvidos a boatos que agridem a privacidade das pessoas. Concupiscência dos lábios: desejo de dizer "palavrão", palavras imorais, chulas, indecentes; desejo de comentar e conversar sobre a intimidade das pessoas, das famílias, das autoridades. Concupiscência do estômago: apego excessivo a boas iguarias, ao bom prato, ou a determinada espécie de comida. (Gálatas 5.16-21). Concupiscência é sinônimo de avidez, cobiça e ganância. "Não ameis o mundo, nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Pois tudo o que há no mundo, a CONCUPISCÊNCIA da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo". (1 João 2.15-16).

 

07 - MASTURBAÇÃO É PECADO?
Masturbar-se é o ato de manipular os órgãos sexuais externos com a finalidade de atingir o orgasmo. A Bíblia não fala diretamente sobre o assunto, mas algumas passagens nos levam a considerar a masturbação pecado. Vejamos:

1) "Antes, andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira..." (Efésios 2.3).
2) "Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências [desejo incontrolado]" (Romanos 6.12).
3) “Fugi da prostituição”. Todo pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo; não sabeis que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?"(1 Coríntios 6.18-19).
4) "Porque as obras da carne são: prostituição, impureza, lascívia... e coisas semelhantes a estas... os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus"(Gálatas 5.19-20). Lascívia/luxúria: libidinagem, sensualidade. Libidinoso: aquele que procura sem pudor o prazer sexual.
5) "Porque esta é à vontade de Deus, a vossa santificação... que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra, não na paixão de concupiscência...porque Deus não nos chamou para a imundícia, mas para a santificação" (1 Tessalonicenses 4.3-7).
Não se pode negar a existência do impulso sexual nos seres humanos, impulso criado por Deus para um fim proveitoso - o da multiplicação da espécie humana, ou seja, o sexo entre homem e mulher, casados. (Gênesis 1.28). Todavia, homens e mulheres têm de várias formas pervertido esse desejo. O homossexualismo é uma dessas impurezas e desvio sexual. A masturbação é uma variante da impureza sexual: vicia, escraviza e causa morte espiritual. O nosso corpo não é para ser usado da maneira como bem entendemos: "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma" (1 Coríntios 6.12).
Os jovens certamente perguntarão: Como fazer para conter o forte desejo sexual? Devem primeiramente esvaziar a mente das imagens eróticas captadas via televisão, revistas, filmes e danças sensuais. Não devemos colocar coisas impuras diante de nossos olhos. Em segundo lugar, devem encher a mente, coração e alma com a palavra de Deus. Por último, orar, e orar muito, para não cair em tentação (Lucas 22.40). E poder dizer com Paulo: "Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim" (Gálatas 2.20).

 

08 - O QUE SIGNIFICA “COMER E BEBER PARA SUA PRÓPRIA CONDENAÇÃO”?
A passagem está na primeira carta aos coríntios e inserida nas instruções de Paulo sobre a celebração da Ceia do Senhor: “PORQUE O QUE COME E BEBE INDIGNAMENTE COME E BEBE PARA SUA PRÓPRIA CONDENAÇÃO, NÃO DISCERNINDO O CORPO DO SENHOR” (1 Coríntios 11.29). Referência símile acha-se no verso 27: “Portanto, qualquer que comer este pão ou beber o cálice do Senhor, indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor”. “Indignamente” significa de forma indigna, não respeitosa, não reverente, não adequada. Peca contra o Senhor quem participa da Ceia de forma indiferente, sem reconhecer que os elementos da Ceia representam o corpo e o sangue de Cristo; sem a intenção de relembrar o Calvário. Os que participam da Ceia apenas para cumprir um ritual, uma cerimônia, sem a intenção de abandonar o pecado, “come e bebe para sua própria condenação”, pois não fazem distinção entre uma refeição normal e a Ceia. Quem assim procede “é culpado de crucificar de novo a Cristo e torna-se imediatamente sujeito a juízo e retribuição específicos”. Quem assim procede coloca-se do lado dos que se rebelam contra Cristo e Sua Palavra. É bom saber que os coríntios se reuniam periodicamente numa festa de confraternização, e cada família levava seu próprio alimento.. Por isso, Paulo recomenda: “Quando vos ajuntais para comer, esperai uns pelos outros”. Nessas festas os pobres ficavam com fome e os ricos ficavam “embriagados” de tanto comer (versos 21-22). Paulo não aprovou essas festas cristãs.
 

09 - HOMOSSEXUALISMO É PECADO?
Deus criou HOMEM e MULHER e lhes dotou de órgãos específicos e especialmente destinados à reprodução da espécie, chamados órgãos sexuais ou genitais. “Assim Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou. MACHO e FÊMEA os criou” (Gênesis 1.27). Homem e mulher possuem genitália apropriada à reprodução. Notem que Deus não criou meio termo, não criou um ser humano que em determinado momento pudesse assumir funções híbridas. Deus não criou um homem com possibilidades sexuais de desempenhar o papel da mulher no ato sexual, e vice-versa. Ocorre que a natureza pecaminosa em função da queda no Éden coloca o homem em rebeldia contra Deus. Pela influência do diabo, o homem continua se rebelando contra o Criador e Sua palavra. A homossexualidade surgiu em decorrência dessa rebeldia. Se o homem assume postura própria de mulher; se a mulher assume funções próprias do homem no ato sexual, caracteriza-se um comportamento contrário à vontade do Criador. Deus nos criou para uma relação heterossexual. Dizer que quem nasce gay morre gay; quem nasce lésbica morre lésbica; que se trata de uma opção sexual válida; que o homossexualismo é uma opção dentre outras; que tudo é permitido desde que satisfaça as partes envolvidas; que não existe pecado; que tudo é válido quando existe amor; que o homossexualismo é genético e por isso irreversível; que a única saída para os pais é aceitar a opção sexual de seus filhos, e tantos outros argumentos semelhantes, são vozes de pessoas que desconhecem o poder e a palavra de Deus. Convém dizer que o diabo deseja destruir o homem, física e espiritualmente, porque o homem é a obra-prima de Deus. Os que estão no homossexualismo têm chance de reverterem o quadro: devem se arrepender e aceitar o senhorio de Jesus, que veio para destruir as obras do diabo, libertar os cativos, aliviar os oprimidos. “SE O FILHO VOS LIBERTAR VERDADEIRAMENTE SEREIS LIVRES” (Lucas 4.18; João 8.36), livres da prostituição, das impurezas, do pecado. O homossexualismo é reversível e quem reverte essa situação é o Senhor Jesus. Ouçamos a voz de Deus:

 

“Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; é abominação” (Levítico 18.22; 20.13).
“Sabendo que a lei não é feita para o justo, mas para os injustos... para os fornicadores, para os SODOMITAS... (o realce é meu). (1 Timóteo 1.10)”.
"Pelo que Deus os entregou aos desejos de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si...pelo que Deus os abandonou às paixões infames. Até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. Semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, inflamaram-se em sua sensualidade uns para com os outros, HOMEM COM HOMEM, cometendo torpeza, e recebendo em si mesmos a penalidade devida ao seu erro... estão cheios de toda iniqüidade, prostituição, malícia, avareza, maldade, inveja, homicídio, contenda, engano e malignidade. Embora tenham conhecimento da justiça de Deus (que SÃO DIGNOS DE MORTE OS QUE TAIS COISAS PRATICAM), não somente as fazem, mas também aprovam os que as praticam" (Romanos 1.24-32).
"Não erreis: nem impuros... nem adúlteros, nem EFEMINADOS, nem SODOMITAS herdarão o reino de Deus" (1 Coríntios 6.9-10). Nota: Sodomita, o que pratica a sodomia: cópula anal, entre homem e mulher ou entre homossexuais masculinos.
“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convém; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma” (1 Coríntios 6.12).
“O corpo não é para prostituição, senão para o Senhor, e o Senhor para o corpo” (1 Coríntios 6.13b)

 

10 - OS FILHOS PAGAM PELA MALDADE DOS PAIS?
Os filhos devem pagar pelos pecados dos pais?
(Isaias 14:21) "Preparai a matança para os filhos por causa da maldade de seus pais, para que não se levantem e possuam a terra... (Êxodo 20:5) Pois eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração. (Êxodo 34:7) Ao culpado não tem por inocente; castiga a iniqüidade dos pais sobre os filhos dos filhos até a terceira e quarta geração. (1Crônicas 15:22) Pois assim como todos morreram em Adão...
(Deuteronômio 5:9) Pois eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração".
Os filhos não pagam pelos pecados dos pais?
(Ezequiel 18:20) "O filho não levará a maldade do pai, nem o pai levará a maldade do filho. (Deuteronômio 24:16) Os pais não serão mortos pela culpa dos filhos, nem os filhos pela culpa dos pais; cada qual morrerá pelo seu pecado".

 

RESPOSTA:
A resposta está na própria Bíblia, como acima: CADA UM PAGARÁ PELO QUE DEVE. Um não paga pelo outro. O único que pagou por nós foi Jesus. Não existe contradição. A Bíblia complementa e explica o enunciado de Êxodo 20.5, em Ezequiel 18.20 e Deuteronômio 24.16. Moisés fala da CONSEQÜÊNCIA dos pecados dos pais nos filhos (Êxodo 20.5). Dada a possibilidade real de os filhos seguirem os passos dos pais, serão eles também punidos. Deus não castiga o inocente. Os filhos serão castigados se de alguma forma, induzidos ou não, pecarem junto com seus pais. Todavia, a culpa destes não é transferida àqueles. Quanto ao julgamento de Deus, devemos ficar tranqüilos porque o Justo Juiz julgará com justiça. Com relação a 1 Coríntios 15.22 e Romanos 5.12 todos os homens pecaram em Adão devemos entender que semente gera semente da mesma espécie . Somos da espécie de Adão, da semente de Adão, originários do primeiro ato sexual do primeiro casal. Adão é o cabeça da raça humana. Logo, herdamos a sua natureza pecaminosa, assim como um filho herda traços físicos e até morais de seus pais. Não somos, portanto, completamente distintos de Adão e Eva. E quem é mais sábio do que Deus? Se Ele diz que pecamos em Adão é porque pecamos. Mas Deus oferece a condição de sairmos desse laço: ao aceitarmos a Jesus como nosso Senhor e Salvador, somos capacitados a vencermos a inclinação para o mal. O livre-arbítrio do homem dá-lhe condições de optar por continuar com sua moral abalada, ligada umbilicalmente a Adão, ou por cortar os laços do velho homem e receber Novo Nascimento em Cristo Jesus.


HAMARTIOLOGIA (Doutrina do Pecado)
I - A origem do pecado
O problema do mal que há no mundo sempre foi considerado um dos mais profundos problemas da filosofia e da Teologia. É um problema que se impõe naturalmente à atenção do homem, visto que o poder do mal é forte e universal, é uma doença sempre presente na vida em todas as manifestações desta, e é matéria da experiência diária na vida de todos os homens. Outros, porém estão convictos, de que o mal teve uma origem voluntária isto é , que se originou na livre escolha do homem, quer na existência atual, quer numa existência anterior. Estes acham se bem mais perto da verdade revelada na Palavra de Deus.
· Dados bíblicos a respeito da origem do pecado.
Na escritura , o mal moral existente no mundo, transparece claramente no pecado isto é, como transgressão da lei de Deus.

 

1 - Não se pode considerar Deus como o seu Autor.
O decreto eterno de Deus evidentemente deu a certeza da entrada do pecado no mundo, mas não se pode interpretar isso de modo que faça de Deus a causa do pecado no sentido de ser Ele o seu autor responsável. Esta idéia é claramente excluída pela Escritura. .Longe de Deus o praticar ele a peversidade e do Todo-poderoso o cometer injustiça.. (Jó 34:10). Ele é o Santo Deus .(Is 6:3), e absolutamente não há retidão nele. (Dt 32:4); (Sl 92:16) .Ele não pode ser tentado pelo mal e ele próprio não tenta a ninguém, (Tg 1:13) . Quando criou o homem, criou-o bom e à sua imagem. Ele positivamente odeia o pecado , (Dt25:16 , Sl 5:4 , 11:5 , Zc 8:17 , Lc 16:15) e em Cristo fez provisão para libertar do pecado do homem.

 

2- O Pecado se originou no Mundo Angélico.
A Bíblia nos ensina que na tentativa de investigar a origem do pecado devemos retornar à queda do homem, na descrição de Gn 3 e fixar a atenção em algo que sucedeu no mundo angélico. Deus criou um grande número de anjos, e estes eram todos bons, quando saíram das mãos do seu Criador ,(Gn 1:31). Mas ocorreu uma queda no mundo angélico , queda na qual legiões de anjos se apartaram de Deus. A ocasião exata dessa queda não é indicada, mas em ( Jo 8:44 ). Jesus fala do diabo como assassino desde o princípio e em (1 Jo 3:8 ) diz João que o Diabo peca desde o princípio.

 

3 - A origem do pecado na raça humana.
Com respeito à origem do pecado na história da humanidade a Bíblia ensina que ele teve início com a transgressão de Adão no paraíso e portanto com um ato perfeitamente voluntário da parte do homem. O tentador veio do mundo dos espíritos com a sugestão de que o homem, colocando-se em oposição a Deus, poderia tornar-se semelhante a Deus. Adão se rendeu à tentação e cometeu o primeiro pecado, comendo do fruto proibido . Mas a coisa não parou aí ,pois com esse primeiro pecado Adão passou a ser escravo do pecado. Esse pecado trouxe consigo corrupção permanente, corrupção que dada a solidariedade da raça humana, teria efeito não somente sobre Adão , mas também sobre todos os seus descendentes. Como resultado da queda, o pai da raça só pode transmitir uma natureza depravada aos pósteros. Dessa fonte não Santa o pecado fluí numa corrente impura passando para todas as gerações de homens corrompendo tudo e todos com que entra em contato. É exatamente esse estado de coisas que torna tão pertinente a pergunta de Jó .Quem da imundície poderá tirar cousa pura ? Ninguém, (Jó 14:4) . Mas ainda isso não é tudo : Adão pecou somente com o pai da raça humana, mas também como chefe representativo de todos os seus descendentes , e , portanto , a culpa do seu pecado é posta na conta deles, pelo que todos são possíveis de punição e morte. É primariamente nesse sentido que o Pecado de Adão é o pecado de todos. É o que Paulo ensina em (Rm 5:12) .Portanto,assim como por um só homem entrou o pecado no mundo e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens,porque todos pecaram..Deus adjudica a todos os homens a condição de pecadores, culpados em Adão, exatamente como adjudica a todos os crentes a condição de justos em Jesus Cristo. É o que Paulo quer dizer, quando afirma : .Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação , assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida. Porque ,como pela desobediência de um só homem muitos se tornarampecadores, assim também por meio da obediência de um só ,muitos se tornarão justos., ( Rm 5:18,19).

 

II - A Natureza do Primeiro pecado ou da Queda do Homem.
1 - Seu caráter Formal : Pode-se dizer que numa perspectiva puramente formal , o primeiro pecado do homem consistiu em comer ele dá arvore do conhecimento do bem e do mal. Quer dizer que não seria pecaminoso, se Deus não tivesse dito : .Da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás.. A ordem dada por Deus para não se comer do fruto da árvore serviu simplesmente ao propósito de por à prova a obediência do homem. Foi um teste de pura obediência desde que Deus de modo nenhum procurou justificar ou explicar a proibição.

 

2- Seu caráter essencial e material : O primeiro pecado do homem foi um pecado típico, isto é , um pecado no qual a essência real do pedaço se revela claramente. A essência desse pecado está no fato de que Adão se colocou em oposição a Deus, recusou-se a sujeitar a sua vontade à vontade de Deus de modo que Deus determinasse o curso da sua vida , e tentou ativamente tomar a coisa toda das mãos de Deus e determinar ele próprio o futuro. Naturalmente podem distinguir-se diferentes elementos do seu primeiro pecado. No intelecto, revelou-se como incredulidade e orgulho na vontade como o desejo de ser como Deus, e nos sentimentos como uma ímpia satisfação ao comer do fruto proibido.
· O primeiro pecado ou a queda como ocasionada pela tentação.
A escritura dá a entender claramente que a serpente foi apenas um instrumento de Satanás , e que Satanás foi o real tentador que agiu na serpente e por meio dela , como posteriormente agiu em homens e em porcos ( Jo 8:44 , Rm 16:20 , 2 Co 11:3 , Ap12:9 ) . A serpente foi um instrumento próprio para Satanás pois ele é a personificação do pecado , e a serpente simboliza o pecado(a) em sua natureza astuta e enganosa e (b) em sua picada enenosa com a qual mata o homem.

 

III - A idéia Bíblica do pecado.
O pecado é o resultado de uma escolha livre porém má, do homem.
Este é o ensino claro da Palavra de Deus , (Gn 3:1 - 6) , ( Is 48:8) , (Rm 1:18-32) , ( 1 Jo 3:4).O homem está do lado certo ou do lado errado ( Mt 10: 32,33 , 12:30 , Lc 11:23 , Tg2;10) .A escritura vê o pecado em relação a Deus e sua lei, quer como lei escrita nas tábuas do coração , quer como dada por meio de Moisés , (Rm 1:32 , 2:12-14 , 4:15 , Tg 2:9 , 1 Jo 3:4 ). Embora muitos neguem que o pecado inclui culpa, essa negação naõ se harmoniza com o fato de que o pecado é ameaçado com castigo e de fato o recebe , e evidentemente contradiz claras afirmações da Escritura , ( Mt 6:12 , Rm 3:19 , 5:18 , Ef 2:3) . Por corrupção entendemos a corrosiva contaminação inerente, a que todo pecador está sujeito. É uma realidade na vida de todos os indivíduos. Ë inconcebível sem a culpa , embora a culpa ,como incluída numa relação penal seja concebível sem a corrupção imediata. Mas é sempre seguida pela corrupção. Todo aquele que é culpado em Adão, também nasce com uma natureza corrupta , em consequência. Ensina-se claramente a doutrina da corrupção do pecado em passagens como , ( Jó 14:4 , Jr 17:9 ,Mt 7: 15-20, Rm 8:5-8 , Ef 4:17-19). O pecado não reside nalguma faldada da alma, mas no coração que na psicologia da Escritura é o órgão central da alma , onde estão as saídas da vida. ( Pv 4:23 , Jr 17:9, Mt 15:19,20 , Lc 6:45 , Hb 3:12).A questão sobre se os pensamentos e os sentimentos do homem natural, chamado .carne. na Escritura, devam ser considerado como constituindo pecado , poder-se-ia responder indicando passagens como as seguintes : ( Mt 5:22,28 ; Rm 7:7 ; Gl5:17,24 e outras. Em conclusão pode-se dizer que se pode definir o pecado como falta de conformidade com a lei moral de Deus, em ato, disposição ou estado. Há inequívocas declarações como a Escritura que indicam a pecaminosidade universal do homem como nas seguintes passagens : ( 1 Rs 8:46 , Sl 143:2 , Pv20:9, Ec 7:20, Rm 3: 1-12,19,20,23, Gl 3:22 , Tg 3:2 , 1 Jo1:8,10). Várias passagens da Escritura ensinam que o pecado é herança do homem desde a hora do seu nascimento e, portanto ,está presente na natureza humana tão cedo que não há possibilidade de ser considerado como resultado de imitação (Sl 51:5,Jó 14 : 4, Jo 3:6) . Em (Ef 2:3 ) diz o Apóstolo Paulo que os efésios eram .por natureza. indica uma coisa inata e original em distinção daquilo que é adquirido. Então, o pecado é uma coisa original , daquela , participam todos os homens e que as faz culpados diante de Deus. Além disso de acordo com a Escritura, a morte sobrevém mesmo aos que nunca exerceram uma escolha pessoal e consciente ( Rm 5:12-14) . Finalmente a escritura ensina também que todos os homens se acham sob condenação e portanto necessitam da redenção que há em Cristo Jesus , nunca se declarava que as crianças constituem exceção a essa regra , conforme as passagens recém-citadas e também (Jo 3:35 ,1 Jo 5:12) , não contradizem isto as passagens que atribuem certa justiça ao homem como ( Mt 9:12,13, At 10:35 , Rm 2:14 ,.Fp 3:6 , 1 Co 1:30 ) , pois esta pode ser a justiça civil , cerimonial ou pactual , a justiça da lei ou a justiça que há em Cristo Jesus.

 

V - O Pecado na Vida da Raça Humana
A - Pecado Original -
O estado e condição de pecado em que os homens nascem é des ignado na Teologia pelo nome de peccatum originale , literalmente traduzido por .pecado original.. Chama-se .Pecado Original. (1) porque é derivado da raiz original da raça humana (2) porque está presente na vida de todo e qualquer indivíduo, desde a hora do seu nascimento e , portanto, não pode ser considerado como resultado de imitação e (3) porque é a raiz interna de todos os pecados concretizados que corrompem a vida do homem.

 

B - Os dois elementos do Pecado Original
1 - A culpa original: A palavra .culpa. expressa a relação que há entre o pecado e a justiça , ou , como o colocam os teólogos mais antigos , e a penalidade da lei. Quem é culpado está numa relação penal com a lei. Podemos falar da culpa em dois senetidos, a saber, como reatus culpae (réu convicto) e como reatus poenae ( réu passível de condenação).O sentido habitual,porém , em que falamos de culpa na teologia , é o de reatus poenae. Com isto se quer dizer merecimento de punição , ou obrigação de prestar satitisfação à justiça de Deus pela violação da lei, feita por determinação pessoal. Isso é evidenciado pelo fato de que, como a Bíblia ensina , a morte, como castigo do pecado, passou de Adão a todos os seus descendentes : (Rm 5:12 - 19, Ef 2:3 , 1 Co 15:22 ) .

 

C - Depravação Total
Em vista do seu caráter impregnante, a corrupção herdada toma o nome de depravação total; muitas vezes esta frase é mal compreendida , e portanto requer cuidados discriminação. Esta depravação total é negada pelos pelagianos, pelos socinianos e pelos arminianos do século dezessete , mas é ensinada claramente na Escritura . ( Jo 5:42 , Rm 7:18,23 , 8:7 , Ef 4:18 , 2Tm 3: 2-4 ,Tt 1:15 , Hb 3:12).

 

V - O Pecado Fatual
Os católicos Romanos e os arminianos menosprezaram a idéia do pecado original e , depois, desenvolveram doutrinas como a da purificação do pecado original (se bem que não só desse) pelo batismo e pela graça suficiente , pelo que fica muito obscurecida a sua gravidade. A ênfase é dada clara e completamente aos pecados atuais. Os pelagianos, os socinianos, os teólogos modernistas- e, por estranho que pareça - também a Teologia da Crise, só reconhecem os pecados atuais. Deve-se dizer, porém ,que esta teologia fala do pecado igualmente no singular e no plural, isto é , ela reconhece a solidariedade no pecado, não reconhecida por alguns dos outros. A teologia reformada (calvinista) sempre reconheceu devidamente o pecado original e sua relação com os pecados atuais. Quando falamos do pecado fatual ou peccatum actuale, empregamos a palavra .fatual. ou factuale. num sentido compreensivo. A expressão .pecados fatuais. não indica apenas as ações externas praticadas por meio do corpo, mas também todos os pensamentos e violações conscientes que decorrem do pecado original.São os pecados individuais expressos em atos diversamente da natureza e inclinação herdada. O pecado original é somente um, o pecado fatual é múltiplo. Os pecados fatuais podem ser interiores, como no caso de uma dúvida consciente e particular, ou de um mau desígnio, sediado na mente ou de uma cobiça consciente e particular, ou de um mau desígnio sediado na mente, ou de uma cobiça consciente e particular do coração, mas também pdem ser exteriores , como a fraude, o furto , o adultério, o assassínio etc. Enquanto que a existência do pecado original tem-se defrontado com a sua negação amplamente generalizada a presença do pecado fatual na vida do homem geralmente é admitida . Contudo ,isso não quer dizer que as pessoas sempre tiveram consciência igualmente profunda de pecado. Afirmações como de Paulo em(Gl 5:21) e de passagens de texto comprovam os pecados fatuais . (Nm 15:29-31, Gl 6:1 , Ef 4:18, 1 Tm 1:13 , 5:24, Mt10;15, Lc 12:47 , 48 ; 23:34 , Jo 19:11, At 17:30 , Rm 1:32 ;2:12 , 1 Tm 1:13,15,16).

 

VI - O Pecado Imperdoável
Diversas passagens da escritura falam de um pecado que não pode ser perdoado, após o qual é impossível a mudança do coração e pelo qual não é necessário orar.É geralmente conhecido como pecado ou blasfêmia contra o Espírito Santo. O Salvador fala explicitamente dele em ( Mt 12:31,32) e passagens paralelas, e em geral se pensa que ( Hb 6:4-6 , 10:26,27 e 1 Jo 5:16 ) ,também se referem a esse pecado.

 

VII - A Punição do Pecado
O pecado é coisa muito séria ,e é levado a sério por Deus, embora os homens muitas vezes o tratem ligeiramente. Não é somente uma transgressão da lei de Deus, é também um ataque ao grande Legislador , uma revolta contra Deus. Ë uma infração da inviolável justiça de Deus, que é o fundamento do seu trono (Sl 97:2) , e uma afronta à imaculada santidade de Deus, que requer que sejamos santos em toda a nossa maneira de punição numa palavra de fundamental significação, diz Ele: .Eu sou o Senhor teu Deus, Deus Zeloso , que visito a iniquidade dos pais nos filhos até à terceira , à Quarta geração daqueles que me aborrecem.. (Êx 20:5 ) . A Bíblia atesta abundantemente o fato de que Deus pune o pecado , nesta vida e na vida por vir. A Bíblia fala de penalidades que em nenhum sentido são resultados ou consequências naturais do pecado, por exemplo em(Êx.32:33, Lv 26:21 , Nm 15;31 , 1 Cr 10:13, Sl 11:6 , 75:8 , Is1:24,28, Mt 3:10 , 24:51) .Todas estas passagens falam de uma punição do pecado por um ato Direto de Deus. A palavra .punição. vem do termo latino poena , significando punição, expiação ou pena. A Bíblia nos ensina, por um lado, que Deus ama e castiga o seu povo ( Jó 5:17, Sl 6:1 , 94:12, 118:18, Pv 3:11, Is 26:16, Hb12:5-8, Ap 3:19 , e , por outro lado, que ele aborrece e pune os que praticam o mal ( Sl 5:5 , 7:11, Na 1:2 , Rm 1:18 ; 2:5,6 , 2Ts 1:6 , Hb 10:26,27.)

 

VIII - Morte Espiritual
O pecado separa de Deus o homem, e isso quer dizer morte, pois é só na comunhão com o Deus vivo que o homem pode viver de verdade. A morte entrou no mundo por meio do pecado ( Rm 5:120 , e que o salário do pecado é a morte ( Rm 6:23). A penalidade do pecado certamente inclui a morte física , mas inclui muito mais que isso.

 

IX - Considerações Bíblicas sobre o Pecado.
A teologia Bíblica nos apresenta as seguintes definições para o Pecado:
Transgressão da Lei : ( I Jo 3:4);
Desobediência ( Jr 3:25);
Rebeldia ( 1 Sm 15:23); Dúvida e tudo o que não provém da fé (Rm 14:23);
Acepção de Pessoas (Tg 2:9);
Blasfêmia contra o Espírito Santo ( Mc 3:29).

 

+ Topo